E agora, Fael? O que fazer com R$ 1,5 milhão?

Ao fim de mais uma edição do BBB uma dúvida permanece: é mais difícil ser selecionado para participar do programa ou vencê-lo? Fael conseguiu as duas coisas e agora terá uma oportunidade única de desfrutar o prêmio e, talvez, nem precisar trabalhar mais.

Resolvemos ajudar o Fael e montamos uma estratégia muito simples e acessível de investimento para que ele não se perca diante de tantas tentações que o dinheiro irá lhe proporcionar.

PartImos da premissa que Fael não tem dívidas e leva a vida frugal de um homem do campo. Com a fama, provavelmente gastará mais: estipulamos R$ 3.500,00/mês.

A primeira lição que Fael irá aprender é tributária e levará muito tempo para esquecê-la. Fael levará uma mordida do Leão do Imposto de Renda equivalente a 27,5% do prêmio total e, com isso, ficará com aproximadamente R$ 1.087.500,00.

Para as eventualidades, Fael poderia destinar 2,0% do prêmio bruto (R$ 30.000,00) para uma reserva de Curto Prazo aplicada em um fundo de renda fixa com baixa taxa de administração. Teria, assim, um fundo para emergências correspondente à quase nove meses de sua necessidade mensal. Ainda sobrariam R$ 1.057.500,00 quantia que talvez jamais tivesse sonhado em ganhar na vida.

Sendo uma pessoa jovem (25 anos) e, com muito tempo pela frente, Fael poderia  – num raciocínio simplista – aplicar todo o dinheiro ganho em uma NTN-B 150545, isto mesmo, um título do Tesouro Direto que paga coupom semestral de juros com vencimento em 2045. Hoje, 01/04/2012, o valor de face deste título é de R$ 2.444,27 e paga IPCA + 5,22% ao ano. Já em 15/05/2012, Fael receberia, em seu primeiro cupom de juros, cerca de R$ 21.000,00 líquidos de IR e inflação projetada de 5% ao ano. Daqui há um ano, em 15/05/2013 essa renda semestral já seria de R$ 22.216,00.

Em 15/05/2023, Fael estará com 35 anos e sua renda de juros semestral já será de R$ 37.421,44. Um valor 68% maior que o recebido dez anos antes.

Viajamos no tempo e, em 15/11/2044, Fael receberá seu último cupom de juros semestrais antes do vencimento do título: R$ 107.449,60. Este cupom é simplesmente 513% maior que o primeiro recebido em 15/05/2012. Com o vencimento das NTN-B em 15/05/2045, Fael resgataria R$ 4.239.487,00 já deduzidos a inflação projetada (5,0% ao ano) e o Imposto de Renda.

Esta liquidez seria suficiente para viver a terceira idade com muita tranquilidade e assistir ao BBB 45 numa situação mais que privilegiada. Mágica? Sim, somente a dos juros compostos trabalhando incansavelmente por Fael.

No cenário aqui traçado, Fael estabeleceria sua riqueza apenas com acúmulo de juros em investimento conservador. E em um único papel, contrariando a teoria da diversificação de investimentos. Não precisaria sequer adquirir patrimônio para fugir dos riscos de desvalorização, custos de depreciação e impostos com rendas de aluguéis.

Um ponto importante: sequer contabilizamos o que a diferença entre a renda semestral de Fael – que começa a proporcionar sobras para investimento a partir de maio de 2013 – poderia gerar nos mesmos 33 anos. É um cálculo interessante porém complexo pois teria-se que estimar uma série de variáveis, uma delas o ciclo vida (casamento, filhos, etc.), por exemplo.

Para se ter uma idéia: se Fael fizesse uma aplicação média de R$ 30.000,00, semestralmente, durante 33 anos a uma rentabilidade de 6% ao ano líquida de IR e inflação (5,0%) acumularia mais R$ 9.632.334,01.

Além das estratégias apresentadas lembramos alguns conselhos que, em Educação Financeira, são tão importantes quanto os juros compostos: juízo, prudência e boas escolhas.

Boa sorte, Fael! Agora é com você! Com você, não senhor…Com os juros compostos…

Marcelo Claudino – 01/04/2012

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *